Ogum’s Toques com o escritor Oswaldo de Camargo

A ação Ogum’s Toques do Escritor conta com a participação de um dos baobás da literatura negra brasileira, o publicitário, jornalista, poeta e ficcionista, Oswaldo de Camargo. O escritor lançará na capital baiana a reedição da sua novela A Descoberta do Frio e Solano Trindade, Poeta do Povo, escrito a partir de anotações feitas para uma palestra na III Jornada Literária – Centenário de Solano Trindade.

O diálogo com Oswaldo de Camargo acontecerá no Centro Cultural da Câmara na próxima quinta-feira, 24 de outubro, a partir das 18h com entrada gratuita.

Ogum’s Toques do Escritor é um projeto da Ogum’s Toques em parceria com o CEAO (Centro de Estudos Afro-Orientais) que se propõe a estabelecer um diálogo sobre Literatura Negra e as produções de escritoras e escritores negros(as); seja lançando livros ou requentando publicações, sempre com música – a banda residente Águas de Samba, liderada por Víviam Caroline, abrilhantará a noite – e sua kitanda poética, que consiste na exposição de produtos relacionados com o contexto literário.


Nas edições passadas a Ogum’s recebeu a escritora e prosadora, Cidinha da Silva, seguido dos escritores José Carlos Limeira, Éle Semog, Abelardo Rodrigues e Elizandra Souza. O projeto literário Ogum’s Toques nasce do sonho do escritor, designer, compositor e arte-educador Guellwaar Adún no intuito de divulgar textos próprios e de outros escritores afro-descendentes do Brasil, diáspora negra e continente africano, diante da invisibilização a que são submetidos os mesmos.

 

Quando: 24 de outubro, 2013.
Onde: Centro Cultural da Câmara Municipal de Salvador | Centro
Horário: 18 às 21h.

Para maiores informações:
Mel Adún |88024314 (tim) | 88836824 (oi)
Email: mel.adun@gmail.com | ogumstoques@gmail.com

Oswaldo de Camargo (1936). Publicitário, jornalista, poeta e ficcionista, Oswaldo de Camargo é, sem dúvida, o escritor que mais se destaca na literatura negra brasileira. Nasceu em Bragança Paulista (SP) em 24 de outubro de 1936. Filho de trabalhadores rurais, até os seis anos vive no campo, mudando para o centro urbano após a morte da mãe. Graças ao gosto pelo estudo e por sua inclinação religiosa, foi para o Seminário Menor Nossa Senhora da Paz, São José do Rio Preto. É lá que conhece a poesia dos parnasianos.

Em 1959, passa a atuar como revisor de O Estado de São Paulo.       Estreia na literatura neste mesmo ano com os poemas de Um homem tenta ser anjo com boa repercussão na crítica. O seu segundo livro, 15 poemas negros é prefaciado pelo intelectual Florestan Fernandes em 1961.

Participa da Associação Cultural do Negro, órgão responsável pela realização de atividades musicais e literárias como diretor do Departamento de Cultura e colabora também com os jornais da imprensa negra (Novo Horizonte, Níger e O Ébano). Com o lançamento do seu livro de contos O carro do êxito, o crítico inglês David Brookshaw garante que o livro é o “primeiro exemplo de literatura baseada na vida urbana negra”. Suas narrativas enfocam os dramas de personagens afro-descendentes no contexto de uma penosa integração ao processo de desenvolvimento econômico do país. Para além da participação no movimento social negro, o Sr. Oswaldo de Camargo participou do volume de estreia da série Cadernos Negros em 1978, no ano seguinte lança sua novela A descoberta do frio, e é um dos fundadores do coletivo literário Quilombhoje. No decorrer da década de 1980 publica o livro de poesia O Estranho e contribui para a consolidação da literatura negra brasileira ao organizar A razão da chama – antologia de poetas negros brasileiros e o livro de ensaio, O negro escrito: apontamentos sobre a presença do negro na literatura brasileira.

 

 

Tagged under:

Leave a Reply

Your email address will not be published.