Artistas invadem as ruas baianas com apresentações gratuitas

O 9º Festival Internacional de Artistas de Rua traz à Salvador, Maragojipe e Conceição do Almeida espetáculos de música, dança, ilusionismo e muito mais

Imagine um picadeiro de um grande circo. O grande público de olhos vidrados nas apresentações de palhaços, mágicos, músicos, malabaristas, equilibristas… Agora imagine levar a magia do circo para as ruas, onde todos podem ter o prazer de assistir, gratuitamente, espetáculos de qualidade e dos mais variados. Senhoras e Senhores: vem aí um dos melhores e mais democráticos eventos culturais da Bahia, o 9º Festival Internacional de Artistas de Rua, que este ano vai levar artistas de varias partes do mundo também ao Recôncavo Baiano.

O largo da Ribeira, em Salvador, vai se transformar num grande palco nos dias 11 (a partir das 19h), 12 e 13 de outubro, a partir das 17h, com apresentações de fantoches, acrobacia, trio de cordas, orquestra de berimbaus afinados, clown, sapateado, estátua viva e muito mais. Mas, não é só em Salvador que o Festival será realizado. Este ano, o espetáculo, que costuma tomar as ruas por onde passa, vai se instalar em Maragojipe nos dias 15 e 16 de outubro, seguindo para Conceição do Almeida, onde fica durante os dias 18 e 19 de outubro. É a primeira vez que o festival é realizado nessas duas cidades.

As apresentações dos artistas têm performances de alta qualidade e profissionalismo, com nenhuma ou pouca necessidade de aparatos técnicos, como som e iluminação, dispensam a utilização de palco e são acessíveis ao público durante qualquer momento do show, além de contar com o elemento de “chapéu”, modo tradicional de arrecadação dos artistas de rua.

A nona edição do Festival Internacional de Artistas de Rua, que já foi realizado nas cidades de Paulo Afonso, Juazeiro e Sobradinho, é uma realização da Selma Santos Produções e Eventos, com direção geral de Selma Santos e direção artística do alemão Bernard M. Snyder, também conhecido como “homem-banda”. O apoio financeiro é do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura e das Secretarias de Cultura e da Fazenda. O evento tem o apoio também da Prefeitura Municipal de Salvador e da Fundação Gregório de Matos.

Maratona Cultural – Orquestra na Rua: Para fechar com chave de ouro, no dia 21 de outubro o Festival Internacional de Artistas de Rua volta a Salvador e traz uma novidade: o evento “Maratona Cultural – Orquestra na Rua”. Pela primeira vez fora do estado de São Paulo, o grupo paulista “Concerto de Rua”, trio de cordas com violino, viola erudita e violoncelo, fará ensaios e um concerto em conjunto com músicos locais e participantes do Festival, na Praça Municipal. Os ensaios começam às 12h30 e o concerto será às 17h.

 

SERVIÇO:
O quê: 9° Festival Internacional de Artistas de Rua
Onde e quando: No largo da Ribeira, Rua Porto dos Tanheiros, dias 11/10 (às 19h), e 12 e 13 de outubro, às 17h.
Em Maragojipe, dias 15 e 16 de outubro e em Conceição do Almeida, dias 18 e 19 de outubro. Dia 21 de outubro, na Praça Municipal, em Salvador, às 12h30 (ensaios) e 17h (concerto).

CONFIRA A LISTA DOS ARTISTAS CONFIRMADOS ATÉ O MOMENTO:
Aly Keita – Mali – Música/Balafone
dias 11,12,13,15,16,18/10

De uma família de músicos tradicionais, vem este ‘mago do balafone’, instrumento semelhante ao xilofone. Aly Keita constrói os próprios instrumentos e faz shows no mundo inteiro; ele é conhecido pela sua maestria e pelo seu sorriso contagiante.

Bernard M. Snyder – Alemanha – Música/Homem-Banda
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Tocando bateria com os pés, violão com as mãos, gaita com a boca e ainda cantando, Bernard é uma banda de um homem só. Ele tem viajado quase o mundo inteiro apresentando-se em ruas e praças de 33 países. O seu repertório inclui ritmos como rock, pop, soul, funk e blues, entre outros.

Biancorino – Brasil/BA – Clown
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Alexandre Luís Casali criou o palhaço Biancorino em 2001 e com o passar do tempo foi aperfeiçoando este personagem de presença forte e cativante. Alexandre é também co-autor da peça ‘O Sapato do meu Tio’ que tem feito sucesso pelo Brasil e internacionalmente.

Carmem Dolores e Edu Maia Jr. – Brasil/BA – Música/MPB
dia 18/10

Carmem Dolores e Edu Maia Jr., mãe e filho, vêm de uma família de músicos de Conceição do Almeida. Carmem, vocalista e instrumentista, já se apresentou como cantora em muitos eventos no Recôncavo Baiano, Edu toca violão e guitarra em vários grupos em Salvador e outras partes da Bahia.

Concerto de Rua – Brasil/SP – Música/Trio de Cordas
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Composto por um violino, uma viola erudita e um violoncelo, a proposta do grupo Concerto de Rua é divulgar a música popular brasileira utilizando instrumentos de orquestra, tirando-os das salas de concerto para mostrar toda sua versatilidade ao grande público em locais como ruas, parques e praças.

Grupo Barlavento – Brasil/BA – Música/Samba de Raiz
dias 11,12,13/10 com Juliana Ribeiro
dias 15,16,18,19/10

O samba de roda é a alma musical do Recôncavo Baiano. Davizinho de Mutá e Hamilton Reis são os líderes do grupo que já se apresentou em muitos festivais nacionais e europeus, balançando os palcos e as praças de todo lugar aonde eles vão.

Juliana Ribeiro – Brasil/BA – Cantora
dias 11,12,13/10 com Grupo Barlavento

Cada ano a fama dessa cantora maravilhosa cresce mais. Ela já gravou vários discos com seu próprio grupo, e nesta edição do Festival de Rua Juliana vai juntar forças com o Grupo Barlavento, dividindo com eles o ‘palco’ de rua na Ribeira. “… Rosa morena eu vou prá Ribeira sambar!…”

Kari Kolorida – Brasil/SC – Estátua Viva
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

É estátua ou é pessoa? Somente quando ela começa a mover o corpo e brincar com o público os espectadores têm certeza que Kari Kolorida é feita de carne e osso. O charme e a beleza dela não deixam de impressionar jovens e adultos.

Lívia Prado – Brasil/GO – Dança do Ventre
dia 16/10

Professora, coreógrafa e pesquisadora da cultura árabe, há 20 anos Lília Prado desenvolve um trabalho de divulgação do folclore e suas tradições milenares do mundo árabe. Ela já apresentou a sua cativante performance em muitos festivais nacionais, assim como na Argentina e nos Estados Unidos.

Mago Mustafá – Brasil/BA – Mago Cômico
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Quem já assistiu ao show do Mago Mustafá não consegue esquecê-lo. O mais cara-de-pau dos atores baianos, Maurício Oliveira deixa o seu público com dor de barriga, resultado de tantas risadas…

Makana ilusionista – Argentina – Ilusionismo
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Neste show de magia os espectadores assistirão a números como o sumiço de garrafas, a transformação de fogo em um peixinho de verdade, levitação de água, jogos com cordas, moedas e flores, a levitação de objetos, a manipulação de cartas e outros clássicos do ilusionismo.

Maratona Cultural – Orquestra na Rua
dia 21/10

Trata-se de um concerto ao ar livre, realizado gratuitamente por uma orquestra de cordas. Podem participar músicos instrumentistas (violinista, violista, violoncelista e contrabaixista) de qualquer idade e nível técnico do instrumento  para a formação de  uma orquestra de cordas que tem por finalidade realizar um concerto em um espaço  público determinado, após uma tarde de ensaios e interação entre os músicos e a população.

Monique Leal – Brasil/BA – Show de Fogo
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

‘Descobrimos’ Monique em Juazeiro quando o festival aconteceu por lá pela primeira vez e ela tinha apenas começado a desenvolver o seu show de fogo. Cada ano a sua performance fica mais forte, e é um prazer enorme poder contar mais uma vez com a presença de Monique Leal.

Orquestra de Berimbaus Afinados Dainho Xequeré (OBA_DX) – Brasil/BA – Música
dias 11,12,13/10

Este grupo mostra a riqueza harmônica dos berimbaus, formando acordes exatos dentro do campo harmônico de cada tonalidade, trazendo assim músicas de ritmos afro-brasileiros adaptadas à orquestra com arranjos autorais. A participação do OBA_DX nesta edição do Festival de Rua é dedicada à memória de Ramiro Musotto, com quem Dainho Xequeré, o líder do grupo, começou seu trabalho de berimbaus afinados.

Philipe Philippsen – Brasil/RS – Música/Acordeon e Voz
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

A performance consiste em um set de música pop nacional e internacional em versão polca, com acompanhamento do acordeon. Philipe começou a sua carreira de músico em Nova York, apresentando as músicas de maneira informal e descontraída. Ele segue cantando em Porto Alegre todos os domingos.

Pinho Blures – Brasil/BA – Grafiti
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

As instalações de Pinho Blures nascem do contexto da rua e das simbologias do local, empregadas no momento da ação e sempre incluindo representações do personagem “cabeça quadrada”, marca registrada dele. No seu trabalho, Pinho combina os estilos de grafite, decoração, instalação e free style.

Tallarin con Banana – Argentina/Chile – Acrobacia
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Este duo composto de um Chileno e uma Argentina apresenta um show de grande habilidade acrobática e alta energia cômica. Tallarin e Banana compartilham com o público os seus momentos de emoção e poesia urbana, improvisação e movimento.

Tanga Elektra – Alemanha – Música/New Soul
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

David Engler canta e toca violino com loop station, Elias Engler o acompanha numa bateria improvisada que tem como base uma caixa de violão. Estes dois irmãos de Berlim fizeram enorme sucesso quando eles participaram da edição 2011 do Festival de Rua. Bem-vindos de volta!

Teatro da Queda – Brasil/RJ – Dança
dias 11,12,13/10

Como reconhecer o outro em meio à multidão? Como me confronto com outro? Como falar de amor em um ambiente tão concreto como a rua? Um e Outro, criado por Duda Woyda e Luíza Bocca, tem como desafio dilatar, em plena cena urbana, o encontro, o afeto, o amor, e suas fronteiras.

Tonio Albani – Chile – Mímico e Palhaço
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Tonio Albani conta histórias com técnicas de mimo e palhaço, sempre incluindo seu público nas performances. Com trinta anos de carreira, este chileno simpático tem muita experiência em brincar com a plateia. Nas suas apresentações também não faltam bolas gigantes de sabão.

Teatro La Polilla – Peru – Fantoches
dias 11,12,13/10

“O Velho Pulchinella” é um espetáculo de fantoches baseado na comedia dell’arte e no teatro de rua. Ruddy Castillo já apresentou suas marionetes de luva nas praças de muitas cidades e aldeias da América Latina. Ele mesmo toca a música de fundo com instrumentos como tambor, gaita, ukulele e pífano.

Tony Fratello – Argentina – Circo
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

Tony Fratello traz na sua mala vários números de circo como malabarismo e equilibrismo, acompanhado por muito charme e uma bela seleção musical que inclui números de polca e valsa que ele toca ao vivo com o seu acordeon.

Tyler Knowlin – EUA – Sapateado
dias 11,12,13,15,16,18,19/10

O sapateado tem suas raízes na música e nos movimentos de dança dos escravos africanos dos Estados Unidos. “Street Beats” é uma coreografia original, homenagem à história e à criação de uma bela arte que nasce da resistência dos escravos à supressão da sua dança, música e cultura.

Confira o site do Festivalwww.festivalderua.com

Email: info@festivalderua.com

Direção geral: Selma Santos: 71 9112-8205 / 71 3022-6381

Email: selma@selmasantos.com.br

Diretor artístico: Bernard Snyder: 71.9163-2999

Email: info@onemanband.org

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA – Flávia Carvalho

71 9918-5777faupinheiro@gmail.com

 

 

Tagged under:

Leave a Reply

Your email address will not be published.