Primavera no 2 de Julho – 20 a 22/09, no bairro 2 de Julho

De 20 a 22/09, o Movimento Nosso Bairro É 2 de Julho e diversos parceiros realizarão o evento Primavera no 2 de Julho. Serão três dias de ações culturais abordando temáticas urbanas importantes para o bairro.

No dia 20/09, às 19h, no coreto do bairro, acontecerá o VIII Cinema no Coreto+Debate, com o tema “Dá pra andar no seu bairro? Acessibilidade e Mobilidade”, com os filmes A Ilha (Alê Camargo); Visões Urbanas (Marília Hughes) e Acessibilidade: Siga essa ideia (CONADE – Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência). Após a exibição, haverá debate com Coletivo Mobicidade, Wilson Cruz (COCAS – Comissão Civil de Acessibilidade de Salvador) e Damien Hazard (Vida Brasil/ ABONG – Associação Brasileira de ONGs). Local: Coreto do Bairro 2 de Julho

No dia 21/09, a partir das 10h, haverá a Mobilização pela Vila Coração de Maria, com bazar, plantio, arte e o cozidão solidário. Haverá performances de Zmário (15h), Fábio Duarte (17h) e Fao Miranda (18h), além de teatro de bonecos com Carol Lima Leite (16h). Local: Vila Coração de Maria, na rua Democrata, nº 12 (ao lado do Clube Fantoches). Essa vila está ameaçada de extinção para tornar-se edifício-garagem para um empreendimento imobiliário de luxo.
No dia 22/09, a partir das 10h, haverá a inauguração do Centro Cultural Que Ladeira É Essa?, com feijoada solidária, com diversas atrações culturais, como o Grupo Botequim, jazz (Ivan Huol, Paulo Mutti e convidados), Bira Reis, entre outros. Local: Rua Visconde de Mauá, nº 70. A Ladeira da Preguiça é um dos pontos do Centro de Salvador, estigmatizada como “cracolândia”, sofrendo ações violentas da polícia e com perigo de perda da Praia da Preguiça para a Bahia Marina, que está se expandindo sobre a praia, ameaçando o local de lazer das comunidades do Unhão, Gamboa de Baixo, Preguiça, entre outras. Além disso, os/as pescadores/as artesanais ficarão sem local para atracar suas embarcações.

As ações fazem parte de uma movimentação comunitária de valorização do bairro e pelo direito à cidade, como contraponto ao processo de gentrificação em curso na região.

 

Mais info: vivianehermida@gmail.com

 

Tagged under:

Leave a Reply

Your email address will not be published.