Consciência Negra em música e poesia no Theatro XVIII

O músico Juraci Tavares convida todos a refletirem sobre questões humanas e ancestralidade africana

No mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra, sobe ao palco do Theatro XVIII, no Pelourinho, o cantor e compositor Juraci Tavares, letrista e militante de longas datas de entidades negras da Bahia, como Ilê Aiyê, Malê Debalê e Cortejo Afro. O músico traz ao público de Salvador o show intitulado “Cordão Umbilical”, que acontece no dia 16 de novembro, às 20h, tendo como convidados os poestas Carlos Limeira e Stael Machado. Os ingressos custam: R$ 5,00.

Sob a direção artística de Anativo Oliveira, o espetáculo traz canções autorais, em sua maioria, que levam a reflexão sobre temáticas humanas e elementos da identidade e da cultura negra. “Minha música traz uma pulsação que permite ao meu ouvinte o entretenimento e, ao mesmo tempo, a reflexão, ao pertencimento à cultura afro-brasileira, a sua inquietação na procura da busca e a possibilidade de juntos combatermos o racismo”, reflete Juraci Tavares.

Cerca de 14 canções serão apresentadas ao público, como: “Saias e Anáguas”, “Comando Doce”, “Isabel, cadê Áurea?”, “Aporte” e “Cordão Umbilical”, que dá nome ao show. Além de cantar durante o espetáculo, o músico também fará declamações de alguns poemas de sua autoria, a exemplo de: “Avançando com os ancestrais”, “Carapinha trançadinho” e “Seu Laguinho”.

Acompanha Juraci Tavares os músicos Márcio Pereira (direção musical, arranjos e violão) e Nielton Marnho (percussão).

SERVIÇO
O que: Show “Cordão Umbilical”
Quem: Juraci Tavares
Quando: dias 16 de novembro, às 20h
Onde: Theatro XVIII (Pelourinho)
Quanto: R$ 5,00 (cinco reais)

JURACI TAVARES
Nascido na Liberdade, o bairro soteropolitano com maior concentração de negros fora do continente africano, Juraci Tavares é compositor, cantor, educador e, especialmente, um amante da pluralidade da cultura afro brasileira. Há 34 anos, o compõe obras que passeiam pelos multifacetados aspectos da formação humana, sem perder de vista a influência e os valores de seus antepassados; é como a sankofa, que busca, em seu passado, elementos para construir um futuro menos injusto e desigual.

O dom nato, no entanto, foi adormecido por alguns anos até que, em 1997, Juraci reinicia o trabalho musical de exaltação dos deuses africanos e dos valores intrínsecos do seu povo. O ambiente era dos mais propícios: sede do bloco africano Ilê Aiyê. Nesta época, entre 1999 e 2004, o compositor de música brasileira conquistou o pódio.

Compõe há largos anos para os blocos Ilê Aiyê e Malê Debalê. “Fio condutor da memória” (1999) e “Demarcador de Espaços e Territórios” (2000) são exemplos de duas composições suas em parceria com Luiz Bacalhau, que foram tema de carnaval do Ilê Aiyê. E, mais recentemente, o bloco Cortejo Afro também tem sido presenteado com canções de Juraci Tavares.

Em 2007, aos 57 anos, Juraci Tavares, até então compositor de blocos-afro, lançou-se como cantor, no show intitulado Veia Aberta, ao lado do também parceiro musical Márcio Pereira (violonista, guitarrista e arranjador). A parceria entre Juraci e Márcio não pára por aí. A dupla tem um espaço cultural chamado Ossos 21. Localizado no bairro de Santo Antônio, o espaço oferece aulas de canto, contrabaixo, piano e violão. Atualmente, o espaço tem oferecido aulas gratuitas de Português e Matemática.

Em 2008, Juraci Tavares reafirma sua carreira de cantor, em mais uma temporada de shows, com o espetáculo “Vocábulos Caminhantes”. O show afro-pop apresenta canções autorais que levam a reflexão sobre temáticas humanas e elementos da identidade cultural afro-brasileira. O segundo dia do espetáculo traz também mais um sotaque: integrantes do grupo pernambucano Afoxé Oyá Alaxé foram como convidados especiais. A parceira entre Juraci Tavares e o afoxé da terra do frevo já rendeu bons frutos. Duas canções compostas pelo músico baiano – “O Ancestral Oyálaxé”  e “O Rosa” – fizeram grande sucesso nos carnavais de 2008 e 2009, em Pernambuco. Ele também está compondo para outro grupo pernambucano, o Afoxé Alafin Oyó. “Valores Entrelaçados” é o título da canção que fez para o Alafin, que fará parte do repertório desse bloco pernambucano, no carnaval de 2010.

Em 2009, além de participar e ter suas músicas tocadas no carnaval pernambucano, Juraci Tavares faz temporada de shows no Bar Cultural Sitoc (Pelourinho), no período de abril a setembro, acompanhado do grupo Aporte, formado por ele esse ano. Ainda em setembro, participou como um dos poetas homenageados na 6ª edição do “Caruru dos Sete Poetas – Recital com gostinho de dendê”, ocorrido no município baiano de Cachoeira.

Com 61 anos, o músico e poeta Juraci Tavares mora em Salvador, no bairro de Santo Antônio Além do Carmo e possui uma formação diversificada: fez curso técnico em Edificações (antiga Escola Técnica Federal da Bahia), é licenciado em Filosofia e Construção Civil, fez curso de Radialismo, está fazendo, desde 2001, Licenciatura em Música (UFBA) e ainda tem aulas particulares de canto e clarineta.

Foi professor do antigo CEFET-BA (hoje IFBA) por 32 anos, onde começou como aluno. E, como radialista, comandou o programa Afro Bahia Total, na Rádio Cruzeiro.

 

Tagged under:

2 Comments

  • Andre Felipe Responder

    Parabens, ao senhor Juraci Tavares pelo seu grande trabalho de combate ao racismo .E não so por isso, mas tambem por levar a cultura brasileira nosso grande talento negro, valeu continue assim. Que Deus te Abençoe!

  • Andre Felipe Responder

    Parabens,ao senhor juraci tavares pelo grande trabalhode combate ao racismo.Tambem pelo trabalho de mostrar a cultura Brasileira os talentos negros,valeu.E que Deus te Abençoe!

Leave a Reply

Your email address will not be published.