PNUD reunirá textos sobre ODM ambiental

Agência da ONU vai selecionar artigos sobre o Brasil no sétimo Objetivo do Milênio, relacionado a sustentabilidade do meio ambiente

da PrimaPagina
O PNUD Brasil está selecionando artigos acadêmicos que farão parte de uma publicação sobre o sétimo ODM (Objetivo de Desenvolvimento do Milênio), voltado à sustentabilidade ambiental. A obra com os textos escolhidos deverá aprofundar o conhecimento sobre as metas e os indicadores ambientais em nível regional e local, avaliar o cumprimento dessas metas e, eventualmente, propor a revisão ou o acréscimo de novos indicadores.


O edital para seleção de textos, aberto até 15 de fevereiro, aponta que o objetivo é “apresentar uma perspectiva crítica na problematização da questão da sustentabilidade ambiental”, tendo como base o sétimo ODM. “Queremos ir além dos números”, resume o coordenador da unidade de Meio Ambiente e Desenvolvimento do PNUD, Carlos Castro.

A seleção é de artigos prontos — não de temas ou propostas de abordagem. O edital não estipula um tamanho máximo ou mínimo para os textos, mas determina que eles devem ser enviados em meio digital (doc ou pdf) e seguir as regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Uma banca examinadora vai analisar os escritos; os 30 melhores serão apresentados em um seminário realizado pelo PNUD, com participação de especialistas do setor. Os textos selecionados vão ser publicados e poderão servir de referência para um relatório específico sobre o sétimo Objetivo do Milênio.

Metas e indicadores
O ODM voltado ao meio ambiente, tal como aprovado em 2000 pelos países-membros da ONU, é composto de quatro metas. Apenas uma, sobre água e saneamento, explicita prazo e proporção do que deve ser feito.

Meta 7A — Integrar os princípios do desenvolvimento sustentável nas políticas e programas nacionais e reverter a perda de recursos naturais

– Indicador 7.1: Proporção de áreas terrestres cobertas por florestas.
– Indicador 7.2: Emissão de gás carbônico per capita
– Indicador 7.2: Emissão de gás carbônico por cada dólar do PIB
– Indicador 7.3: Consumo de sustâncias que degradam a camada de ozônio
– Indicador 7.4: Proporção de peixes dentro de limites biológicos seguros
– Indicador 7.5: Proporção do total de recursos hídricos utilizada

Meta 7B — Reduzir a perda de diversidade biológica e alcançar, até 2010, uma redução significativa na taxa de perda

– Indicador 7.6: Proporção de áreas terrestres e marinhas protegidas
– Indicador 7.7: Proporção de espécies ameaçadas de extinção

Meta 7C — Reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso permanente e sustentável a água potável segura e esgotamento sanitário

– Indicador 7.8: Proporção da população com acesso a uma fonte de água tratada
– Indicador 7.9: Proporção da população com acesso a melhores condições de esgotamento sanitário.

Meta 7D — Até 2020, ter alcançado uma melhora significativa nas vidas de pelo menos 100 milhões de habitantes de bairros degradados

– Indicador 7.10: Proporção da população urbana vivendo em assentamentos precários

Site: http://www.pnud.org.br

Tagged under:

1 Comment

  • Sheyla Assis Responder

    Nos tempos hodiernos a educação ambiental incide, não só em uma mudança de comportamento, mas na busca por uma atitude social, entretanto, este processo propõem alianças diversos atores que possam renovar esforços através de agentes cruciais para mudanças de paradigmas. Acredito que JUNTOS PODEMOS!

Leave a Reply

Your email address will not be published.