Inscrições para o Prêmio Cultura Hip Hop prorrogadas

Interessados terão até 11 de agosto para participar

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural (SID/MinC), publicou portaria no último dia 9, no Diário Oficial da União (Seção 3, pag. 12) prorrogando o prazo de inscrição do edital Prêmio Cultura Hip Hop 2010 – Edição Preto Ghóez. Os interessados em participar do concurso, cujas candidaturas poderão ser efetivadas pelos Correios, por áudio, vídeo ou pela internet, terão agora até o dia 11 de agosto de 2010 para se inscreverem.

Prêmio Cultura Hip Hop 2010, lançado pela primeira vez pela SID/MinC, premiará 135 iniciativas do movimento Hip Hop, com o valor de R$ 13 mil cada, divididas em cinco categorias (ReconhecimentoEscola de RuaCorreriaConhecimento – Quinto ElementoConexões). O concurso, que homenageará o rapper, compositor e líder do movimento, Preto Ghóez, terá recursos de R$ 1,7 milhão e será realizado em parceria com a Secretaria da Cidadania Cultural (SCC/MinC), o Instituto Empreender e a Ação Educativa.


Acesse o sítio do Prêmio Cultura Hip Hop no endereço
www.premiohiphop.org.br

Confira o Edital.
Acesse a Cartilha.

Acesse o Manual de Orientação para as inscrições on-line.

Podem se inscrever nos dois editais: pessoas físicas, instituições formais e grupos informais.

Você pode se inscrever baixando o Edital e seus anexos clicando aqui. Preenchendo e mandando pelos Correios para este endereço: Instituto Empreender – SCS QD 01 Bloco nº 28 Edifício JK Sala 23 – CEP 70 306-900 – Brasília – DF.

Você também pode fazer a inscrição no Prêmio Cultura Hip Hop pela internet clicando aqui (Inscreva-se).

Veja mais sobre as categorias:

Conhecimento: Nesta categoria estão inseridas as iniciativas que fomentem a realização de encontros, seminários e debates, ou a produção de estratégias para a difusão do Hip Hop. O objetivo é premiar projetos que divulgam e difundem o Hip Hop junto à sociedade. Entre os exemplos desse tipo de iniciativa estão a Semana do Hip Hop realizada, em São Paulo, pela Ação Educativa e o encontro Trocando Idéia, realizado em Porto Alegre.Nesta categoria também estão os veículos de comunicação do movimento Hip Hop como as rádios comunitárias, sites especializados, blogs, twitters, jornais, revistas, programas de TV, além de livros e fanzines existentes em todo o Brasil.

Conexões:No caso dessa categoria, a associação mais comum da cultura Hip Hop no Brasil se dá com as expressões culturais afrodescendentes. Como exemplo de iniciativas culturais da categoria Conexões, temos grupos musicais como o Z’África Brasil, que tem como característica o forte apelo da cultura afro em suas letras; grafiteiros como Speto, que mistura o graffiti com a xilogravura; crews de dançarinos como o grupo Discípulos do Ritmo que mistura novos conceitos com as danças do Hip Hop; e DJs como KL Jay que, além de tocar, organiza festas e campeonatos. Os 10 prêmios (dois para cada macrorregião do país) para esta categoria serão destinados às personalidades, ou grupos, que desenvolveram ações importantes para o desenvolvimento da cultura Hip Hop. As inscrições, para essa categoria, poderão ser feitas por pessoas que conhecem alguma personalidade importate para o movimento e queira indicá-la para receber a premiação.Poderão se inscrever nesta categoria iniciativas que incidam sobre a geração de renda ou que criem oportunidades de trabalho para os envolvidos, tais como a produção de eventos e a confecção de produtos, dentre outras. Esta categoria é destinada para todas as ações que geram dinheiro dentro do Hip Hop. Entre os exemplos de iniciativas que podem ser inscritas estão: os organizadores de festas, que contratam shows de rap ou de b.boys e os donos de casas noturnas, que contratam DJs para animar suas festas e eventos. Outro exemplo de iniciativa que gera renda é o das gravadoras independentes que lançam discos de Hip Hop em todo país, como a Cosa Nostra, de São Paulo e a Só Balanço, de Brasília.

Reconhecimento:

Correria:

Escola de Rua: Esta categoria está voltada para iniciativas que, por meio dos elementos do Hip Hop, desenvolvam ações sócioeducativas, seja a partir de pedagogias tradicionais ou inovadoras. Dentro desta categoria estão as Organizações Não Governamentais (ONGs) e associações sem fins lucrativos, além de outros projetos que utilizam o Hip Hop como instrumento para se comunicar com os jovens. São exemplos de iniciativas a Casa do Hip Hop em Diadema que realiza oficinas usando elementos do hip hop como o graffiti, o DJ, orapper e a dança de rua (break). Qualquer ação que utilize elementos do movimento para levar informação, conhecimento e profissionalização, pode se inscrever nesta categoria.

Fonte: WWW.premiohiphop.org.br

Tagged under:

1 Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.