Rapadura e RBF, lançamento em dose dupla

 Foto RBF

RAPadura

RAPadura

O Evolução HipHop deste sábado (16-01), terá lançamentos inéditos em dose dupla, o rapper Rapadura do Ceará irá lançar seu primeiro disco “FITAEMBOLADA”, e o grupo baiano RBF o álbum digital R.B.F – Rapaziada da Baixa Fria, tudo isso em primeira mão no programa que vai ao “AR” às 17h, na Educadora FM 107.5 . O repertorio musical será recheado com musicas do RAPadura, RBF, Rael da Rima e entre outros.

Quem não está na Bahia pode ouvir ao vivo pelo site: www.educadora.ba.gov.br

 

 

RBF 1RBF: formado pelos MCs Aspri, Heider e Iris, DJ Ivan e, na percussão, Fabrício. Nos últimos dois anos, o grupo Rapaziada da Baixa Fria – RBF garantiu participações importantes na mídia local e nacional: em abril de 2007, protagonizaram o quadro “Novos Olhares”, do programa Fantástico, da Rede Globo; em novembro de 2008, gravou na TV  Educativa da Bahia, no programa “Soterópolis”, um quadro em comemoração ao 20 de Novembro, dia da consciência negra, data em que é relembrada a morte do herói negro, Zumbi,  líder do Quilombo dos Palmares; participou do programa da Rádio Educadora “No Pelô”, gravado integralmente pela TVE Bahia, em setembro de 2008 e reprisado em maio de 2009.

Para os amantes do rap, o R.B.F. agrada imediatamente, pois além de trazer bases criativas, carrega muita poesia em suas composições, letras que falam dos problemas enfrentados pela juventude negra e, mais do que isso, apontam saídas. Para aqueles mais seletivos com o estilo, vale a pena conferir, pois o grupo tem feito interessantes pesquisas musicais, construindo bases a partir de diversas influências, com a presença de diferentes ritmos: africanos, trabalhando com nomes como Felá Kuti, Yussou N´Dour. Milles Davis e o inesquecível, James Brown; latinos, com a pulsação da rumba e da salsa e até mesmo o tango de Astor Piazzola. R.B.F tem trilhado um caminho que valoriza a música em seus diversos aspectos, mesclando os samplers com instrumentos de corda e percussivos.

Histórico
Na base de todas essas iniciativas, está um discurso panafricanista que reivindica a união de todos os povos africanos na África e na diáspora, recuperando as idéias de Abdias do Nascimento, Carlos Moore, Cheik Anta Diop, Aimé Cesaire dentre outros intelectuais negros.

Nascidos no Cabula, em Salvador, um microcosmo dos lugares onde vive grande parte da população negra no Brasil, autodenominam-se filhos da diáspora que encontraram o caminho de volta (Sankofa).

O nome R.B.F. procura reverter os estigmas sofridos pelos moradores dos bairros negros e pobres da cidade, em particular do Cabula, que convivem num paralelo de violência e ociosidade. O grupo busca informação para a conscientização da juventude negra e melhoria das condições de vida de sua área, atuando através das diversas linguagens artísticas expressas no hip hop. Criado em 1999, o R.B.F. tornou-se referência em seu bairro, desenvolvendo trabalhos sociais de base, sempre elegendo como lastros de aglutinação e sustentação estético-ideológica o break, o dj, o graffiti e o rap. Enfim, elementos da cultura hip hop. Promovem, ao longo do ano, eventos educacionais como ciclos de palestras, mostras de vídeos seguidos de debates, eventos artísticos culturais, como shows e festas em geral.

O grupo tem organizado dois eventos anuais importantes para o hip hop baiano: a “União do Manos”, encontro que congrega várias vertentes do rap, do graffiti e do break; e o “Grito dos desempregos”, evento que reúne a juventude do Cabula para discutir as origens e as alternativas do desemprego.

Contato para show:
Márcia Guena  – Produtora
(71) 8788-9991 – marciaguena@gmail.com
Site: www.rbfcabula.com

RapaduraRapadura – Francisco Igor Almeida do Santos, mais conhecido como RAPadura Xique Chico, nasceu em Lagoa Seca no Ceará no ano de 1984, e hoje é um cantador que deixou seu corpo para habitar o sentimento de outros. É um artista ativista, ou como o mesmo prefere se denominar, um Art’vista.

O rapper RAPadura desenvolve um trabalho voltado para o universo do canto falado. Uma mistura arrojada de Rap com a tradição da cultura popular brasileira, que tem suas raízes matriciais com a Embolada e o Repente. O rapper também mistura seus versos com jazz, funk, soul, valsa, marchinha de carnaval, bossa nova, samba rock e outros ritmos urbanos. São principais inspirações na composição de suas músicas: Heleno Ramalho, Luiz Gonzaga, Banda de Pau e Corda, Lia de Itamaracá, Patativa do Assaré, Mercedez Sosa, entre outros.

Suas letras são contundentes e exalam uma linguagem poética sem perder a identificação com o povo. Falam do nordeste, da seca, do agricultor, da mulher rendeira, como no trecho de sua música de trabalho Amor popular ”sou lavrador, trabalhador, sou sonhador cantador, eu vim da seca, da palhoça pra expressar meu amor”. As letras também falam da cidade e dos processos de urbanização – “presente seco, boca amarga, coração em nó, cidade grande, quem sabe um dia um futuro melhor” – trecho da música À Cidade Grande.

A intimidade de RAPadura com a música é natural. Prova disto foi a conquista em 2007 do Prêmio Hútuz (RJ) como melhor artista do Norte-Nordeste. O seu show é uma verdadeira celebração, onde no palco tem-se uma comprometida parceria com artistas e ativistas do campo e da cidade. Este é o RAPadura Xique Chico, rapper ímpar na cultura brasileira. RAPadura por essência, Xique por resistência, Chico por sorte de ‘bença’. E o mesmo complementa: “Sou RAPadura, e todos me conhecem como povo.”
 
 Contatos para Shows:
PRODUÇÃO RAPadura
– 1/4 D’Engenho Produções
RAPadura na Boca do Povo
Paula Azeviche – Produtora
Tel: 71 8634-1494 – 71 9999-3061
E-mail alternativo: paulazevixe@hotmail.com
My Space: www.myspace.com/rapadurarap

Tagged under:

18 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.